Suspeito de assassinato e tentativa de homicídio teve prisão relaxada por outro crime.

Volta Redonda- Pedro Henrique Duarte Borges, de 26 anos, que foi preso domingo (14), suspeito de matar Rafael Almeida de Lima, de 22 anos, e tentar matar Jean Pablo Dias, de 22 , teve a prisão relaxada no dia 29 de março deste ano, pelo juiz da 1ª Vara Criminal de Volta Redonda, Ludovico Couto Colacino. Pedro Henrique Duarte Borges responde a um processo por tráfico de drogas, após ser preso no ano passado, no bairro Eucaliptal.

Segundo a polícia, Pedro Duarte teve outra passagem pela polícia em 2013, também por suspeita de tráfico e corrupção ativa. Pela acusação, ele teria oferecido dinheiro a policiais militares para não ser levado para a delegacia.

Sobre os crimes que teria praticado na madrugada do último domingo, o delegado titular da 93ª DP (Volta Redonda), Eliezer Lourenço, já foi informado de que a rixa de Pedro era com Jean Pablo, que se encontra internado no Hospital São João Batista, mas não corre risco de morte.

O delegado foi informado ainda que Jean conduzia um Gol, que foi interceptado por um Vectra preto que estava ocupado por Pedro e por um comparsa identificado apenas por Mil, próximo a um posto de combustível, à margens da Avenida dos Trabalhadores, na Vila Santa Cecília.  Houve perseguição e o Gol foi alvejado por tiros na Rua 208, pelos ocupantes do Vectra.

Os disparos atingiu Rafael, que morreu dentro do carro, e Jean Pablo que sobreviveu.

Já Pedro Duarte nega participação no crime, mas foi reconhecido por uma testemunha como a pessoa que estava no Vectra.

O delegado vai aguardar a recuperação da saúde de Jean para saber o que realmente ocorreu e motivou a rixa, além de tentar prender os outros participantes do homicídio e da tentativa de homicídio.

O copro de Rafael foi sepultado nesta segunda-feira (15) no Cemitério Portal da Saudade, em Volta Redonda.

Fonte: diariodovale.com.br

“É por isso que tem que ter punição exemplar. Pois deixar esses bandidos soltos faz com que essas coisas aconteçam.” Disse Daniela Cammin, ouvinte da Real FM.