Morre PM que tentou evitar assalto em Barra Mansa.

Barra Mansa- O corpo do policial militar Eleonardo Silva, conhecido como Léo, de 31 anos, que morreu por volta das 2h10, da madrugada desta segunda-feira (13), na Santa Casa de Misericórdia, será enterrado nesta segunda-feira (13), às 16h30min, no Cemitério Municipal de Barra Mansa.

Ele estava internado desde a noite de domingo (12), quando foi baleado durante um assalto a um posto de combustível em Barra Mansa, na Avenida Presidente Kennedy, em frente ao Detran, numa localidade conhecida como retorno,  próximo à Vila Delgado, no Ano Bom.

Segundo informações repassadas à polícia, os assaltantes teriam roubado R$ 20 mil, após renderem um funcionário que estava no escritório do posto. O PM estava de folga quando tentou impedir o assalto.

Segundo uma testemunha, a vítima estava trabalhando em uma obra quando tentou impedir o assalto, mas os bandidos reagiram, atingindo o policial com dois tiros: um na cabeça e outro na perna. Os quatro assaltantes roubaram a arma do PM, um Fusca azul e seguiram em direção a Volta Redonda.

Eleonardo era cabo-PM e lotado no 28º Batalhão da PM (Volta Redonda). Ele deixa mulher e três filhos menores. O delegado titular da 90ª DP (Barra Mansa), Ronaldo Aparecido de Brito, vai requisitar imagens de câmeras de segurança do local do crime na tentativa de reconhecer os atiradores.

Com a morte de Eleonardo, sobe para 119 o número de policiais mortos por tiros no Estado do Rio de Janeiro somente esse ano. Na manhã deste domingo, um policial militar morreu em um tiroteio no Morro da Providência, no Centro do Rio de Janeiro. Segundo familiares, ele foi baleado na cabeça enquanto prestava apoio aos colegas. O crime ocorreu por volta das 6h.

O delegado Ronaldo Brito vai anexar no inquérito, instaurado para apurar o assassinato do PM, o laudo do IML e do Instituto de Criminalística Carlos Éboli, feito por peritos no local do crime.

O PM foi a segunda pessoa assassinada em menos de 24 horas na cidade. A primeira ocorrência foi no último sábado, quando um jovem de 25 anos não resistiu aos ferimentos após ser atingido por tiros. O crime foi na Rua Maria Resseque, no bairro Santa Clara.

Mais mortes

No dia 31 de outubro, o estudante de psicologia Caio César Alves Camargo, de 23 anos, foi morto a tiros, durante uma tentativa de assalto, a poucos metros do Centro Universitário de Barra Mansa (UBM), onde ele estudava.

O universitário foi assassinado por dois ocupantes de um Gol cinza, modelo antigo, no trevo das ruas Mário Ramos e José Alves Caldeira, no Centro. Ele o teria sido vítima de uma tentativa de assalto, após se negar entregar o celular.

Caio estava acompanhado de outro estudante de psicologia, Breno Caneda, de 19 anos, que também foi baleado, mas sobreviveu. Ninguém foi preso ainda.

As outras vítimas de homicídio foram Alex Gil Barbosa, de 20 anos, morto, no dia 31 de outubro, na Rua Prefeito João Luiz, no bairro Saudade. Já no dia 1º deste mês também foi assassinado a tiros  Jaime Aparecido Lopes, de 30 anos. Ele foi morto  Rua Recife, no Getúlio Vargas.

No último dia 4, foi registrado o assassinato de José Carlos da Conceição, de 57 anos, morto a tiros próximo a um bar, na Rua Imaculada Conceição, na localidade conhecida como Km 4. Bruno Fausto Valente, de 27 anos, que estava próximo a José Carlos, que também foi baleado, mas sobreviveu. No dia 5 passado, a vítima foi Itamar Ferreira de Souza assassinado a tiros no bairro Vila Ursulino.

 

Fonte: diariodovale.com.br