Roubo nas ruas aumenta e deixa comandante do 28º BPM, preocupado

Volta Redonda – O aumento no número de ocorrências referentes a roubos ocorridos nas ruas, foi um dos temas abordados pelo comandante do 28º Batalhão da PM, tenente-coronel Márcio Guimarães, durante a manhã desta quinta-feira (18), em um programa de rádio local. Ele disse que reduzir esses casos é um dos desafios a ser enfrentado pela unidade policial, responsável pelo policiamento ostensivo de três cidades: Volta Redonda, Barra Mansa e Pinheiral.

Segundo Guimarães, esse tipo de crime ultrapassou a margem considerada normal para uma cidade do porte de Volta Redonda. Sem citar números, o comandante, garantiu, no entanto, que a polícia esta pronta para adotar medidas em busca de reduzir esses casos. Entre elas, estão as ações de Inteligência e policiamento ostensivo. “Esse tipo de crime não é uma característica apenas de Volta Redonda. Em 2016 e 2017, todo o Estado do Rio de Janeiro teve um acréscimo no roubo de rua”, ressaltou o comandante, avaliando que um dos fatores que impacta o aumento das estatísticas referente a estes crimes,  é a crise econômica que o país enfrenta, além do desemprego.

Entre as medidas já adotadas pelo 28º BPM, está  o mapeamento dos locais com maior incidência criminal, como Vila Santa Cecília, principalmente na Rua 31, Jardim dos Inocentes e Praça Japão.

– Após fazer esse mapeamento, revelando os dias, horários e locais, onde esses marginais costumam atuar, coloco os policiais em ação. Isso, inclusive, já vem dando resultado. Recentemente cinco pessoas foram presas. Uma delas foi um homem que  roubou o salário de uma mulher de 78 anos  – disse o comandante, acrescentando a necessidade de aproximação da polícia com a comunidade.

Guimarães também pediu apoio da população, para que sejam feitas denúncias informando sobre crimes, por meio do whatsapp  (24) 99839-0460 ou Disque-denúncia 08000-260-667. Outra ação visando reduzir as estatísticas de roubo nas ruas, será uma campanha orientando a população, a evitar falar ao celular, enquanto caminha pela cidade. Essa atitude facilita o roubo dos aparelhos e, de acordo com o policial, é chamado de arrebatamento. “Tudo isso vamos explicar para a comunidade, que será alertada através de palestras realizadas, principalmente, em escolas”, enfatizou o policial.

 

Fonte: diariodovale.com.br