Vanguart desafia supremacia do single ao acoplar três faixas inéditas a álbum do ano passado - RealFM

Vanguart desafia supremacia do single ao acoplar três faixas inéditas a álbum do ano passado

Edições especiais de álbuns fazem mais sentido em formato físico, como era praxe na época áurea do CD. Nas plataformas digitais, o conceito de álbum ficou mais fluido. Mesmo assim, o Vanguart desafia a supremacia do single e apresenta edição deluxe do quarto álbum de estúdio do grupo mato-grossense, Beijo estranho, lançado em maio de 2017.

Disponível desde sexta-feira, 13 de julho, essa edição especial de Beijo estranho acopla três músicas inéditas ao repertório desse disco que segue a trilha pop e solar desbravada pela banda no álbum anterior, Muito mais que o amor (2013).

As três músicas inéditas foram feitas ao longo do processo de composição do repertório de Beijo estranho, mas excluídas da seleção final de onze músicas do álbum. As três foram gravadas entre os estúdios Tambor (no Rio de Janeiro) e Saxofunny (em São Paulo) com produção de Rafael Ramos.

Tudo que não for vida foi composta por Helio Flanders e Reginaldo Lincoln no estúdio, durante as gravações de Beijo estranho“Eu me lembro de essa música ter sido uma grande surpresa justamente por ser muito diferente de tudo que a banda já havia feito. No fim, não conseguimos definir a letra e acabamos desistindo dela. Um ano depois, ficamos muito surpresos por reconhecer uma força natural que a canção tinha”, relata Flanders, compositor solitário de outra das três músicas inéditas, Tony, de clima mais soturno.

Me pega completa a trinca de inéditas autorais da Deluxe edition de Beijo estranho com a novidade de trazer a voz da violinista do Vanguart, Fernanda Kostchak, que canta os versos em francês da letra na gravação feita em dueto com Helio Flanders.